terça-feira, 26 de maio de 2015

A escolha de Paul Pogba

Todos nós sabemos que Paul Pogba é uma realidade. O jovem francês de 22 anos já figura entre os principais nomes do futebol mundial, sendo colocado por muitos como um dos que podem vencer a Bola de Ouro no futuro, inclusive.
No entanto, Pogba passa por um momento crucial em sua carreira. Após três anos de Juventus, tendo vindo para Turim a custo zero, naquele que pode ser considerado o maior erro de avaliação de Sir Alex Ferguson, hoje tem seu preço avaliado em 100 milhões de euros.
Pogba tem o já comprovado interesse de gigantes europeus como Real Madrid e Barcelona, assim como uma proposta do endinheirado PSG, clube de sua terra natal.
Para um jogador de 22 anos, o meia francês tem um desempenho fora do normal. É um meia completo, que une força física e uma categoria poucas vezes vista recentemente. Sua visão de jogo lembra a de Zinedine Zidane em alguns momentos, e sua força física se assemelha a de Patrick Vieira.
Paul Pogba assumiu um papel que antes não tinha na Juventus. Com Antonio Conte, era apenas uma peça da engranagem. Na Juve de Massimiliano Allegri, virou o principal organizador do time, sendo responsável direto pela saída de jogo.
No entanto, o jovem jogador ainda não é um jogador perfeito, embora seu preço e a expectativa de todos o coloquem dessa forma. Por ser muito jovem, não é raro ver algumas decisões erradas dele. As vezes Pogba simplesmente é preciosista demais, por saber da sua habilidade, e acaba deixando a defesa em apuros, como aconteceu contra o Real Madrid. Outras vezes lhe falta a frieza para finalizar, como também pudemos ver diante dos espanhóis, embora isso não possa ser cobrado de um jogador de sua posição.
A questão é: o que será melhor para o futuro de Pogba? Ficar na Juventus, que aposta em sua formação e evolução como jogador, ou ir atrás das cifras e mídia que pode ter na Espanha, além da chance de morar na França, sua terra natal.
Pogba se sente em casa, é querido pela torcida, por todos no clube e já deixou clara sua vontade de ficar por mais um ano na Juve, que por sua vez, não tem a intenção de vendê-lo, ainda mais agora que vem retornando a condição de potência continental. No entanto, é difícil resistir ao poderio financeiro e técnico de Barça/Real/PSG.
E aí, 'Pogboom', qual vai ser?